Casas em loteamento clandestino podem ser demolidas em Indaiatuba

316 0

Para as famílias que residem no Recanto Beira Rio, em Indaiatuba (SP), o sonho da casa própria se tornou um pesadelo sem previsão de terminar. Segundo a prefeitura, o loteamento está localizado em uma área rural onde não poderia haver divisão de lotes; o terreno, porém, foi dividido em 82 espaços, que foram vendidos aos moradores em 2019.

Os lotes, que custaram entre R$ 80 mil e R$ 90 mil, agora correm o risco de serem demolidos pela prefeitura. Alegando parcelamento indevido de solo, a administração obteve uma liminar na Justiça autorizando a retirada dos moradores e demolição das casas no loteamento.

De acordo com os residentes, os terrenos foram colocados no mercado por três homens, a quem acusam de ter aplicado golpes: Antônio Carlos dos Santos, Daniel Teodoro da Silva e Ralf Vilas Boas Berbel. Segundo a advogada dos moradores, Josiane Martins, uma consulta ao Tribunal de Justiça revelou que os três respondem por parcelamento de solo em outros municípios.

Insegurança

Ainda que a advogada dos moradores tente um novo recurso, uma decisão publicada pela Justiça na quarta-feira (14) manteve a demolição das casas, o que preocupa ainda mais moradores como o Juraci da Silva, de 67 anos. Aposentado, ele deu a casa em que morava como entrada para adquirir um lote de 5 mil m² no local.

O que diz a prefeitura?

Em nota, a Prefeitura de Indaiatuba reafirmou que o loteamento não poderia ter sido feito no local e que, por isso, as famílias devem ser retiradas, o que pode ser feito a qualquer momento. A administração destacou, ainda, que as denuncias têm sido feitas desde 2019.

A prefeitura afirma ter orientado os moradores sobre a irregularidade do terreno em diversos momentos. Com isso, a administração acredita que os residentes estavam cientes dos riscos de permanecer no local.

FONTE: EPTV/G1
Foto: Reprodução/EPTV

error: Conteúdo protegido.