Conecte-se Conosco

Mundo

Caso Archie Battersbee: Após batalha judicial por suporte de vida, morre menino 12 anos que ficou em coma após desafio on-line

Tratamento de suporte a vida de Archie Battersbee foi alvo de batalha judicial no Reino Unido Reprodução
Compartilhe essa notícia:

Família tentou impedir desligamento de aparelhos que mantinham criança viva, mas tratamento foi suspenso com autorização da Justiça neste sábado

Morreu neste sábado Archie Battersbee, de 12 anos, que estava em coma havia quase quatro meses em Londres, no Reino Unido. Com danos cerebrais irreversíveis, a família do menino acredita que ele sofreu um acidente após realizar um desafio viral de uma rede social. O caso também ganhou notoriedade por conta da briga judicial dos parentes para tentar impedir que o suporte de vida dele fosse desligado. O tratamento foi finalizado às 12h15, no horário local.

Ele lutou até o fim. Estou muito orgulhosa de ser a mãe dele — disse a mãe Archie, Hollie Dance, a jornalistas do lado de fora do hospital.

Archie e a mãe, Hollie Dance, antes de acidente que causou danos cerebrais irreversíveis — Foto: Reprodução
Archie e a mãe, Hollie Dance, antes de acidente que causou danos cerebrais irreversíveis — Foto: Reprodução

Na segunda-feira, a Justiça do Reino Unido autorizou o desligamento dos aparelhos após os médicos do Hospital Real de Londres alegarem que o tratamento contínuo de suporte à vida não era do interesse do menino.

A família então apresentou propostas ao Supremo Tribunal, Tribunal de Apelação e Tribunal Europeu de Direitos Humanos pedindo que a decisão fosse revogada, mas ela foi mantida. O Supremo Tribunal concluiu que, mesmo que o suporte de vida fosse mantido, a criança morreria no decorrer das próximas semanas por falência de órgãos e insuficiência cardíaca.

Os pais pediram em seguida que ele fosse transferido para uma unidade de cuidados paliativos, justificando que ele teria uma “morte natural”, mas a Justiça não aceitou a proposta. Especialistas argumentaram que a remoção apenas causaria mais sofrimento e até aceleraria a morte de Archie.

O menino foi encontrado inconsciente na casa dele no dia 7 de abril e estava internado desde então. Ele foi mantido vivo por uma combinação de intervenções, como ventilação e remédios.

Desde o início, os médicos concluíram que ele estava com morte cerebral, mas a família insistiu que o tratamento deveria continuar, alegando que o coração do menino ainda batia e que ele segurou a mão da mãe. A equipe responsável garante, porém, que nunca foram registrado sinais vitais desde que o paciente chegou ao hospital.

Hollie acredita que o filho foi vítima do desafio conhecido como “Blackout Challenge”, viral na rede social Tik Tok, que consiste em apertar o pescoço até perder a consciência por falta de oxigênio.

Após a morte de Archie, o Barts Health NHS Trust, que administra o hospital, emitiu um comunicado prestando solidariedade à família e exaltando o trabalho da equipe que o tratava.

“Nosso sentimentos e sinceras condolências permanecem com eles neste momento difícil. Gostaríamos de agradecer à equipe médica, de enfermagem e de apoio do departamento de terapia intensiva pediátrica que cuidou de Archie. Forneceram cuidados de alta qualidade com extraordinária compaixão em circunstâncias difíceis e angustiantes. Esse caso trágico não afetou apenas a família e seus cuidadores, mas tocou o coração de muitos em todo o país”, diz o comunicado.

Fonte Globo.com

Compartilhe essa notícia:
Continue lendo
Propaganda
Programa Entre Falas com Camila Almeida